Ensino superior

Na luta por seus direitos, professores da UNIb voltam à greve

Atualizada em 06/02/2009 16:06

manifestação na entrada da unidade Chácara Flora
Os professores da Universidade Ibirapuera retomaram a greve nesta quinta-feira, 5/2, com uma manifestação na entrada das duas unidades para alertar a sociedade sobre o descaso da instituição com o corpo docente, que não recebe salários desde novembro do ano passado.

Depois de ter feito proposta de acordo com chancela do sindicato patronal (SEMESP), que foi aceita pelos professores em assembleia, a UNIb sequer pagou o primeiro compromisso previsto no documento. E pior: agora vem alardeando por aí que não propôs qualquer tipo de acordo. Mas basta ver o e-mail enviado para o SINPRO-SP, para saber quem não está falando a verdade nessa história.

A retomada da greve é, portanto, a única maneira de pressionar os mantenedores a cumprir a proposta que eles mesmos fizeram para o pagamento do que devem.

O movimento dos professores contou com as presenças do deputado estadual Carlos Gianazzi, no campus Chácara Flora, e do vereador Eliseu Gabriel, no campus de Moema, que manifestaram total apoio à luta dos docentes da UNIb.

Funcionários da UNIb instalam faixa na tentativa de descaracterizar o movimento
Intimidação
Durante a manifestação nas duas unidades, representantes da universidade tentaram intimidar os professores e diretores do SINPRO-SP filmando toda a movimentação. Além disso, instalaram faixas próximas às colocadas pelo Sindicato dizendo que os professores “não estavam em greve”, (veja foto) com o objetivo de mascarar a situação para os alunos que chegavam ao local.

No campus Chácara Flora, a presença ostensiva de policiais (em torno de 10 viaturas) destoava da manifestação pacífica e democrática dos professores. O deputado Carlos Gianazzi afirmou que vai pedir esclarecimentos oficiais do Comando da PM e do governo do Estado sobre a razão de tantos policiais no local.

Nova manifestação
Nesta segunda-feira, dia 9, a partir das 18 horas, haverá novas manifestações nas duas unidades da UNIb. Os professores estão em greve, lutando para que seus direitos sejam respeitados.


Deputado Carlos Giannazi mostra presença ostensiva da PM no local
Vereador Eliseu Gabriel (terno preto) manifesta apoio à luta dos professores

Fotos: Dorival Elze, Arismar Garcia e SINPRO-SP