SinproSP

Desafios contemporâneos da mulheres

Atualizada em 06/03/2009 17:11
Após tantas lutas e conquistas históricas, quais são os desafios das mulheres na contemporaneidade? Que papel têm as professoras nesse contexto? Qual é a sua opinião? Mande para imprensa@sinprosp.org.bre ela será publicada neste espaço.

Maria Cristina Castilho Costa, professora, pesquisadora, autora do livro “A Imagem da Mulher – Um Estudo de Arte Brasileira”
“Depois de tantas vitórias e da inserção das mulheres no mercado de trabalho, o mais urgente é o reconhecimento da sociedade em relação ao papel das mulheres na criação das novas gerações. As empresas ainda não têm infra-estrutura de berçários e creches para que suas funcionárias possam conciliar com harmonia suas funções de mães e de cidadãs. As mulheres em idade reprodutiva ainda sofrem para conseguir emprego e ascender na carreira. A sociedade não compreende a maternidade como uma função e missão social, mas como uma decisão particular e íntima, o que não é verdadeiro. As políticas populacionais estão aí para nos lembrar do contrário.
Claro que as professoras têm papel importantíssimo nessa luta, não só na formação ideológica dos homens e mulheres de amanhã, mas também exercendo uma profissão ligada ao desenvolvimento humano da sociedade. Como profissionais e mães responsáveis pelas novas gerações elas são sensíveis a essa questões. Lembrar que a luta pela igualdade e pelos direitos humanos está em processo deve fazer parte de sua função pedagógica.”

Daniele Ricieri e Mayse Lepique, do coletivo de atrizes “Atuadoras”, que refletem de forma artística e poética sobre questões de gênero.
Elas preferiam responder as questões com o poema que segue abaixo, de autoria de Mayse Lepique

“Ah não!
Não me venha com essa rosa vermelha,
Quase alegre,
Meio murcha,
Que não esconde espinho,
Pedindo perdão,
Fingindo redenção.Pára com essa história de que somos iguais,
Que as diferenças já eram,
Direitos adquiridos,
Casa, trabalho, filho, marido.
Não me venha com comemoração
Que eu não engulo essa, não.

Pois ainda ganho menos
Ainda sou produto
Quando apanho, devo ter dado motivo
E se peço proteção, acabo na prisão.

Vamos falar a verdade?
Você não me conhece
Nunca percebeu que eu tenho identidade
E meu pensamento vai muito além do seu outdoor

Cuidado capital, a casa caiu.
Seu império está por um triz
Nossa vingança é ser feliz!