Geral

Keeping order in the classroom

Atualizada em 18/06/2009 17:39

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgou o relatório TALIS, levantamento que procura comparar as condições de ensino e de trabalho do professores de 6º a 9º ano em 23 países. A pesquisa foi feita entre 2007 e 2008 e envolveu consulta a 200 escolas - públicas e privadas – de cada país.

No relatório, a questão disciplinar tem um impacto negativo para a qualidade do trabalho docente e no grau de satisfação (melhor dizer, a insatisfação) da categoria. Embora esse problema tenha aparecido em todos os países, a pesquisa revela que, no Brasil, ele adquire um peso maior.

Somos os que mais demoram para colocar ordem na classe (“keeping order in the classroom”, um pouco diferente do que “desperdiçar aula com broncas”, como publicado na Folha de S. Paulo, em 17/06). Destinamos 17,9% da aula, contra 13% da média. Será que foi computado o tempo usado para colocar os alunos para dentro da classe?

A média de alunos por classe – 32,2 - é alta, atrás apenas do México (37,8); Malásia (34,9) e Coréia do Sul (34,6). A média geral é de 23,5 alunos por classe.

Indisciplina em sala de aula, faltas e xingamentos são, nessa ordem, as principais queixas dos professores brasileiros em relação à atitude de seus alunos.

A pesquisa aponta que 83% dos professores brasileiros realizaram algum tipo de atividade relacionada ao aprimoramento profissional. Entre eles, 56% realizaram a atividade em parte da carga horária.

Leia a íntegra da pesquisa (em inglês)