SinproSP

SINPRO-SP discute causas e enfrentamento do desgaste mental do professor

Atualizada em 19/06/2009 16:21

O Sindicato retomou as discussões iniciadas em debate realizado em maio com um novo evento sobre o desgaste mental docente no último dia 17, em sua sede: “Entre o prazer e o sofrimento – causas e enfrentamento do desgaste mental no trabalho do professor”.

A psicóloga, professora e pesquisadora da PUC-SP, Renata Paparelli, falou sobre o mal-estar que atinge a categoria, relatando depoimentos diversos que expressam o conflito vivido por boa parte dos professores diante das especificidades de seu trabalho.

Se por um lado, o ofício de ensinar está distante da dinâmica do trabalho de uma fábrica, por outro, hoje os professores sentem-se cada vez mais próximos de um processo de produção em série, com sistemas de apostilas e procedimentos padronizados de trabalho. “Dos professores é exigido criatividade para os problemas cotidianos, mas a autonomia e a possibilidade interferência no processo decisório nas escolas são pequenas”, explicou Paparelli.

Diante desses conflitos, os professores sofrem, abrindo espaço para o esgotamento mental e os problemas que afetam a saúde. A pesquisadora destacou os mais comuns entre os professores: os agravos de voz e a síndrome de burnout.

Paparelli lembrou que os professores precisam ficam atentos a essas questões na busca de soluções. Em sua análise, é preciso mobilização da categoria para que novas políticas de trabalho sejam implementadas e, principalmente, para ampliar o entendimento de que o esgotamento mental dos professores pode ser em boa parte dos casos, resultado de sua atividade ocupacional.

Confira aqui a apresentação da palestra de Renata Paparelli

Fotos: Maíra Soares