Campanha salarial

Reivindicações dos professores do superior são entregues à comissão patronal

Atualizada em 03/02/2020 20:58

As negociações no ensino superior começaram nesta segunda-feira, dia 03.  A comissão sindical que representa professores e trabalhadores não docentes entregou à comissão patronal as pautas de reivindicaçōes e recebeu as propostas dos patrōes para revisão da Convenção Coletiva. Este ano, além do reajuste, todas as cláusulas da Convenção precisam ser rediscutidas, pois a atual Convenção tem vigência até 29 de fevereiro.

Entre as principais reivindicaçōes dos professores estão aumento real nos salários, piso salarial, manutenção das garantias atuais, regulamentação do trabalho em EaD e blindagem contra o trabalho precário, como contrato temporário, intermitente, terceirizado ou por pejotização. 

veja aqui as reivindicações dos professores do ensino superior


Os patrões, é claro, vieram de garras afiadas. Entusiasmados com a onda de flexibilização das leis trabalhistas, os representantes patronais mostraram que querem mudar a Convenção e reduzir direitos, como restrição das bolsas de estudo, fim da estabilidade na pré-aposentadoria e redução da garantia semestral de salários etc.

A luta começa agora e assegurar os direitos conquistados ao longo dos anos, criar proteção contra a precarização no trabalho e garantir salários dignos devem ser prioridade de toda a categoria. O primeiro grande desafio é garantir a nossa data base - 1º de março.

A próxima rodada de negociação acontece na tarde do dia 10 de fevereiro, segunda-feira, e, ao final,  o SinproSP e a Fepesp divulgarão notas sobre a reunião.

Íntegra da pauta dos professores da educação superior 

Campanha Salarial 2020: direitos, dignidade e unidade!

Com informações e foto da Fepesp