Campanha salarial ensino superior

Contraproposta patronal representa retrocesso

Atualizada em 18/06/2020 13:56

Após realizar assembleia de mantenedoras, os representantes patronais das instituições de ensino superior elaboraram e apresentaram contraproposta para a celebração de convenção coletiva de trabalho de professores e auxiliares no ensino superior privado no Estado de São Paulo. A contraproposta foi encaminhada aos sindicatos na tarde desta terça-feira, 16/06, e será discutida pelas Federações que participam da comissão de negociação pelo lado dos trabalhadores.

“A maior parte da convenção foi mantida inalterada na contraproposta patronal”, diz Celso Napolitano, que coordena a negociação pelos sindicatos integrantes da Fepesp. “Mas, as poucas alterações apresentadas representam um retrocesso”.

O setor patronal ainda insiste em não negociar qualquer reajuste salarial alegando prejuízos por conta da pandemia, como se apenas a manutenção de uma convenção coletiva fosse o suficiente para que professores e auxiliares abrissem mão de repor perdas causadas pela inflação entre 2019 e 2020. “Ainda há muito a ser negociado”, afirma Napolitano.

As Federações que participam das negociações irão avaliar a contraproposta patronal e discutir o encaminhamento das negociações com o setor patronal  na próxima quinta-feira, dia 18.

Fonte: Fepesp