Ensino superior

SINPRO-SP denuncia São Marcos ao Ministério Público do Trabalho e à DRT

Atualizada em 17/08/2007 16:31

O SINPRO-SP denunciou as irregularidades cometidas pela Universidade São Marcos contra seus professores ao Ministério Público do Trabalho. A instituição não cumpriu acordo firmado recentemente, em audiência na própria Procuradoria do Trabalho, de acertar o pagamento dos salários. Além disso, ainda não pagou as verbas rescisórias dos cerca de 60 professores demitidos agora no meio do ano, impedindo que façam as homologações.

O Sindicato também fez a denúncia à Delegacia Regional do Trabalho (DRT) e solicitou mesa-redonda (veja ofício) cobrando a regularização de todas as pendências. Além do não-pagamento dos salários e das verbas rescisórias, os representantes da universidade terão de responder também pela falta de depósito do FGTS e de repasse do INSS.

A diretoria do SINPRO-SP reitera: os professores devem procurar o departamento jurídico do Sindicato o quanto antes para dar início aos processos contra a São Marcos.

Leia manifesto dos professores demitidos da São Marcos.