Direitos

São Marcos desrespeita professores

Atualizada em 18/12/2007 11:11

A Universidade São Marcos não compareceu à mesa-redonda convocada pela Delegacia Regional do Trabalho, a pedido do SINPRO-SP, para dar explicações sobre plano de carreira recém-criado com o objetivo de reduzir salários (leia ata). A atitude mostra total desrespeito com os professores e prova, mais uma vez, que a São Marcos não trata a educação com seriedade. Para eles é uma mercadoria qualquer.

Não fosse assim, a universidade pagaria corretamente os salários dos professores, ou seja, dos profissionais que ensinam e que, portanto, exercem a atividade-fim da instituição. Também não fosse assim, seria honesta a ponto de repassar os valores que descontam dos professores ao INSS e à Receita Federal. Não faria apropriação indébita da contribuição dos sócios do Sindicato. Pagaria o que deve aos profissionais demitidos há quase seis meses.

Se fosse uma instituição preocupada com a qualidade da atividade que exerce estaria aberta ao diálogo e demonstraria disposição para negociar a solução dos problemas. Como se vê, não é o que acontece. Por isso a São Marcos sofrerá, a pedido do SINPRO-SP, fiscalização do Ministério do Trabalho. Também já foi denunciada ao Ministério Público do Trabalho, à Previdência Social e à Receita Federal.

Orientamos os professores: NÃO ASSINEM a proposta de plano de carreira. O Sindicato inicia já movimento de luta dos professores para a paralisação das aulas já no início do semestre letivo em 2008. Não é possível aceitar mais tamanho desrespeito com o trabalho docente.